CNDHC não tem tido autonomia para resolver os problemas de violação dos direitos humanos – PP

Cidade da Praia, 29 Set (Inforpress) – O presidente do Partido Popular considerou hoje que a Comissão Nacional para os Direitos Humanos e a Cidadania (CNDHC) é uma “grande farsa”, alegando que não tem tido autonomia para resolver os problemas de violação dos direitos humanos.

Amândio Barbosa Vicente fez essas declarações à imprensa no final de mais uma reunião semanal do partido, em que esteve sobre a mesa, também, o concurso dos bombeiros da Câmara Municipal da Praia e a morte de mais um cidadão, alegadamente devido a negligência médica.

Para o Partido Popular (PP), a celebração do Dia Nacional dos Direitos Humanos, assinalado pela primeira vez em Cabo Verde a 25 de Setembro, constitui uma “grande mentira” sendo que os direitos humanos, sobretudo a nível da saúde e da habitação, continuam a ser violados.

“Foram feitas denúncias de 24 mortes por negligência médica, os hospitais continuam a não atender as pessoas que não têm meios para pagar e as câmaras continuam a incrementar políticas de neoliberalismo a nível da habitação”, observou Amândio Barbosa Vicente.

No seu entender, essas e outras são situações de violação de direitos humanos que “têm acontecido em Cabo Verde e a Comissão não tem estado a fazer nada”.

“Isso é violação da Constituição da República e dos direitos humanos sendo que todos os seres humanos têm direito à saúde e à habitação”, considerou o líder do PP, para quem o presidente da CNDHC e os seus membros não deviam ser nomeados pelo Governo.

Por outro lado, acusou também a Câmara Municipal da Praia de violar a lei do concurso público, recorrendo a “padrinhagem e ao amiguismo”.

A este propósito, referiu que do concurso de bombeiros, realizado em 2017, para recrutamento de 17 novos efectivos entraram nove, mas estes não passaram nos testes e não constavam como participantes do concurso.

Referindo-se ao bairro da Cidadela, Amândio Barbosa Vicente fez saber que os problemas continuam sendo os mesmos, ou seja, as habitações não estão ligadas às redes de água e de esgoto, o bairro não tem iluminação pública e as estradas continuam em péssimo estado.

AV/CP

Inforpress/Fim

Scroll to Top
Share via
Copy link
Powered by Social Snap