• Save

Cidade Velha: Edil garante que segunda edição da “Viagem pela História” superou a expectativa

Cidade da Praia, 30 Jun (Inforpress) –   O presidente da Câmara Municipal de Ribeira Grande de Santiago considerou hoje que a segunda edição da “Viagem pela História” superou a sua expectativa, entretanto tiraram algumas ilações para melhorar na próxima recriação.

Manuel de Pina fez esta consideração à imprensa no final da recriação histórica que recriou a invasão do corsário francês Jacques Cassard à Cidade Velha, em 1712.

Para o edil, antes do evento havia aquele “friozinho na barriga”, mas no final conseguiram atingir o objectivo traçado.

Manuel de Pina, que interpretou o papel de conselheiro do Governador, enalteceu o engajamento de todos os actores e da população local, os quais, com pouco tempo, conseguiram fazer bem os seus papéis.

“Tivemos pouco tempo de transferência das responsabilidades do Ministério da Cultura e da Indústrias Criativas para a câmara municipal, mas agora temos um ano para fazê-lo.   Os vestuários e os preparativos foram feitos mesmos a correr, por isso todos estão de parabéns”, salientou.

Como ilações, Manuel de Pina disse que para a próxima vão evolver mais personagens e toda a economia à volta dessa recriação, divulgar com mais antecedência este evento.

“Aliás, hoje deveríamos estar a anunciar qual é a data e o cenário da próxima recriação, por isso estamos a aprender com isso e vamos conseguir fazê-lo com mais pormenores e superar os erros que estamos a dar agora”, apontou.

Sendo que a cidade foi pilhada, destruída e perdeu tudo, até o título de capital, o edil voltou a afirmar que a França tem o dever moral de ajudá-lhos a reerguer a sua cidade.

Na opinião do português Valentim Silvestres, que interpretou o papel de senhorio, esta recriação é um “diamante”, mas a população ainda “não se apercebeu do valor que isto terá no futuro”.

“Isto poderia ter aqui muitos milhares de pessoas a ver isto. O ano passado foi bom e este ano continuou a ser muitíssimo bom. Se tivessem aqui dez mil pessoas e cada um deixar só 100 escudos imagine quanto dinheiro ficava”, disse, propondo a edilidade a trabalhar mais no sentido de envolver a população para que possa gerar mais riqueza.

Aconselhou ainda a autarquia a “beber da experiência” de algumas cidades portuguesas que também fazem essa recriação histórica e que hoje “dão-se ao luxo” de pedir às pessoas para pararem de ir porque já não há espaço.

A II edição da “Viagem pela História”, que recriou a invasão do Jacques Cassard à Cidade Velha, em 1712, enquadra-se nas celebrações do X aniversário da ascensão da Cidade Velha a Património Mundial da Humanidade.

AM/AA

Inforpress/Fim