CERMI e INEGI de Portugal juntos na formação de alto de nível e desenvolvimento de projectos de consultoria à CEDEAO

Cidade da Praia, 14 Out (Inforpress) – O Centro de Energias Renováveis e Manutenção Industrial (CERMI) e o INEGI de Portugal assinaram hoje um protocolo de colaboração para formação de alto nível desenvolvimento de projectos de consultoria à CEDEAO.

O documento prevê três áreas colaboração nomeação a especializada de quadros técnicos, a realização de consultoria conjunta na região da CEDEAO e mobilização de recursos para realização de investigação.

O presidente do conselho de administração do CERMI, Luís Teixeira, adiantou que o CERMI tem revistado muita demanda para formação de alto nível, que vem sendo realizado com parceiros de fora não só do continente africano como também europeu.

“A ideia, com este protocolo, é que o Instituto de Ciência e Inovação em Engenharia Mecânica e Engenharia Industrial (INEGI) possa trazer especialistas para nos apoiar a nível da formação de alto nível, não só na área energia, mas mesmo na área das finanças e mobilização de recursos. Acho que pode ser uma boa oportunidade”, explicou.

A segunda área é a investigação. O objectivo, explicou, é de aproveitar a experiência do INEGI, nomeadamente na área industrial e, ao mesmo tempo, associar-se ao instituto para aproveitar os fundos europeus disponíveis para investigação.

“Cabo Verde tem aproveitado muito pouco, por exemplo, dos fundos europeus nomeadamente o horizonte 2020, sobretudo, porque nós não conseguimos preparar toda a candidatura e juntando com as instituições europeias, além de ser um requisito, eles estão mais bem preparados a nível da preparação dessas propostas, e acreditamos que o INEGI vai ser um parceiro muito importante aqui”, sustentou.

Por outro lado, Luís Teixeira lembrou que o CERMI também faz estudos não só para mercado cabo-verdiano, como também para os países da CEDEAO. E porque considera que há muitas oportunidades no continente africano, acredita que, juntamente com o instituto português, que poderá entrar com ‘expert’, será possível aproveitar muito mais dessas oportunidades.

Da parte do Instituto, assinou o documento o director coordenador para consultoria e serviços, Rui Sá, que disse esperar que esse protocolo seja o início de uma colaboração profícuo entre as duas instituições e que contribuem, efectivamente, também para o desenvolvimento das relações entre Portugal e Cabo Verde.

“O INEGI e o CERMI podem, efectivamente, colaborar e juntar competências e dessa forma constituir agrupamentos vitoriosos na concorrência a projectos que venham a ser desenvolvidos pelo CEDEAO”, disse.

“O INEGI tem hoje uma experiência e uma rede de colaboração na área da União Europeia e em projectos europeus e o INEGI e o CERMI poderão constituir parcerias com o objectivo de concorrer a projectos europeus, projectos esses que sejam vencedores e que, efectivamente contribuíam não apenas para o desenvolvimento dos países da UE, mas também dos países amigos como é o caso de Cabo Verde”, acrescentou.

O protocolo foi assinado no âmbito de uma visita de trabalho de uma delegação da Direcção-Geral de Energia e Geologia de Portugal, enquadrada numa missão institucional e empresarial no âmbito do protocolo de cooperação celebrado entre os governos dos dois países, em Dezembro de 2012.

MJB/CP
Inforpress/fim

Scroll to Top
Share via
Copy link
Powered by Social Snap