• Save

Cardeal Dom Arlindo Furtado considera “histórico” o ensino da disciplina EMRC nas escolas públicas

Cidade da Praia, 13 Set (Inforpress) – O cardeal Dom Arlindo Furtado considerou hoje que a disciplina de Educação Moral e Religiosa Católica (EMRC) que começa a ser lecionada a partir deste ano lectivo nas escolas públicas constitui um “momento histórico” para a igreja.

A constatação foi feita esta tarde, na Praia, a margem da cerimónia de encerramento do seminário de formação de professores de EMRC, que decorreu de 09 a 13 deste mês e com a participação de cerca de 30 professores, sendo 12 das escolas públicas dos ensinos básico e secundário onde vai ser implementada a disciplina (13 escolas) e 18 das escolas católicas (três da Praia e dois de São Vicente).

“Este é o momento histórico porque nós a Igreja, antes do acordo jurídico entre a Santa Sé e o Governo da República de Cabo Verde não imaginávamos a possibilidade de um dia virmos a retomar essa disciplina abrangendo alunos que não frequentam activamente a igreja”, afirmou.

Segundo explicou, para os cristãos existe a catequese, mas há valores cristãos que são assumidos até pela cultura e sociedade cabo-verdiana que devem ser conhecidos e princípios orientadores até para os relacionamentos uns com os outros, mas “infelizmente” não tem havido a oportunidade de fazer chegar, sobretudo num ambiente onde muitas famílias estão desestruturadas.

“Agora temos novas oportunidade de chegar a outras pessoas que não frequentam regularmente a igreja, mas que vão tomar consciência de princípios que orientam as pessoas não vida simplesmente como seres humanos, não necessariamente como cristãos, e qualquer cristão deve também conhecer e interiorizar esses valores porque ajuda a todos a serem mais humanos e conscientes na nossa responsabilidade também social”, sublinhou.

Por outro lado, disse esperar que essa formação possa contribuir para a formação humana, sendo que quanto mais humana for a sociedade na apreciação, avaliação das coisas, das pessoas, das situações e da vida, “naturalmente todos serão melhores cidadãos e bons cristãos mesmo de uma forma implícita”.

“Queremos com esta disciplina dar aos nossos formandos meios para poderem apreciar a vida, melhorar o relacionamento, valorizar o próximo, o ambiente, sabendo que aquilo que nos faz felizes é a qualidade da relação com os outros, neste mundo muito individualista, muito egoísta, materialista e as vezes podemos servir das pessoas para subir certos degraus numa determinada perspetiva de vida individualista”, considerou Dom Arlindo Furtado.

A ideia, segundo o cardeal é que os homens e mulheres sejam boas pessoas e capazes de cuidar de si, dos outros e do meio ambiente.

Na primeira fase, a disciplina de EMRC vai ser leccionada em algumas escolas públicas das ilhas de Santiago, São Vicente, Santo Antão e Fogo, mas a partir de 2023 este ensino será alargado a outras escolas, conforme o que vier a ser acordado com o Governo.

O ensino desta disciplina nas escolas públicas, que é facultativo, resulta do acordo de Concordata assinado em 2013 entre o Estado de Cabo Verde e o Vaticano.

AV/CP

Inforpress/Fim

Scroll to Top
Share via
Copy link
Powered by Social Snap