Cabo Verde junta-se ao mundo para celebrar o Dia Mundial da População

Cidade da Praia, 11 Jul (Inforpress) – Com uma população residente à volta dos 531 mil habitantes, Cabo Verde junta-se ao mundo para comemorar hoje, 11 Julho, o Dia Mundial da População, sob o lema “50 Anos do FNUAP e 25 do CIPD: Acelerando Promessas”.

De acordo com dados avançados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), Cabo Verde afigura-se como um país com forte predominância para o urbano, já que dos 531.239 habitantes, 67,9 por cento (%) dos agregados familiares e 64,3% da população residem no meio urbano.

No período tomado de referência pelo INE, 2016, a maioria da população vive no meio urbano, sendo que a ilha de Santiago, a maior do país, continua a albergar mais de metade da população (56,7%), destacando o concelho da Praia, com 27,5%, seguido do de São Vicente com 14,7% da população.

O concelho da Praia, que alberga a capital, é considerado 100% urbano, contrastando com as ilhas de Maio, São Nicolau, Fogo e Brava, em que mais de metade da população vive em zonas rurais.

São Vicente e Sal, de acordo com registo do INE, são ilhas predominantemente urbanas, já que mais de 90% das suas populações residem no meio citadino, seguidas da Boa Vista, com 71,6% da população a residir em meio urbano e Santiago, com 67,3%.

Praia e São Vicente apresentam uma maior concentração da população, representando em 2016, respectivamente 29,2% e 15,4% do total da população cabo-verdiana residente, ao passo que em sentido contrário os concelhos do Tarrafal de São Nicolau e Santa Catarina do Fogo apresentam a menor concentração populacional, na ordem de 1,0%.

O INE registou um aumento paulatino da densidade populacional, assinalando um crescimento em cerca de 5% entre 2012 e 2016, tendo neste último ano registado o valor de 131,72 habitantes por quilómetros quadrados (km²) a nível do país.

A nível das ilhas, destaca-se a disparidade de valores para cada uma, tendo São Vicente registado a maior densidade populacional do país com 360.63 habitantes por km², logo seguida de Santiago com 300,73 habitantes por km² e Sal com 163.28 habitantes por km².

Em sentido contrário afigura-se a ilha da Boa Vista, como a menos densamente povoada, mas que nos últimos anos tem vindo a registar um rápido crescimento populacional, que de traduziu num significativo aumento, ao passar dos 18,16 habitantes por km² em 2012 para 25,05 moradores por km² em 2016.

As ilhas de Santo Antão, São Nicolau, Fogo e Brava apresentaram uma redução da população residente e, consequentemente, da densidade populacional, em resultado do processo migratório (interno e externo) que se regista nestas ilhas.

Em relação a estrutura etária da população, os últimos registos do INE, indicam que o número de pessoas de 0 a 14 anos é 153.975 (29,0 % do total da população residente), ao passo que o grupo dos 15 aos 24 anos conta com 102.465 (19,2% do total), enquanto dos 25 aos 64 anos centra-se em 245.732 (46,3%).

Quanto aos idosos, referindo a pessoas da faixa etária igual ou superior aos 65 anos, o valor estimado em 2016 situa-se à volta de 29.057 indivíduos (5,5%, da totalidade).

Ao todo Cabo Verde, segundo o INE, conta com 127.333 agregados familiares, maioritariamente do tipo conjugal (47,7%9, e que caracterizam por uma dimensão média de quatro pessoas, e pela existência de pelo menos uma criança menor de 18 anos em cerca de 69% dos agregados.

Curioso é que de acordo com o último recenseamento do INE, os concelhos do Norte como Ribeira Grande, Paul e Porto Novo ((Santo Antão), São Vicente, Ribeira Brava, Tarrafal (São Nicolau), Sal e Boa Vista têm mais habitantes femininos do que masculinos.

Já nos os concelhos de Sotavento como Tarrafal (Santiago), Santa Catarina (Santiago) Santa Cruz, Praia, São Domingos, São Miguel, São Salvador do Mundo, São Lourenço dos Órgãos, Ribeira Grande de Santiago, Mosteiros, São Filipe, Santa Catarina (Fogo) e Brava são constituídos maioritariamente por habitantes femininos.

Em Cabo Verde, o acto central alusivo ao Dia Mundial da População realiza-se na Assembleia Nacional, onde vai ser apresentado o Relatório Sobre a Situação da População Mundial 2019 intitulado “Um trabalho inacabado: a busca por direitos e escolhas para todos e todas”.

SR/CP

Inforpress/Fim

Scroll to Top
Share via
Copy link
Powered by Social Snap