Brava: Taxa de prevalência do HIV na ilha preocupa autoridades de saúde

Nova Sintra, 05 Out (Inforpress) –  O delegado de saúde da ilha Brava, Hélder Pires, demonstrou-se hoje preocupado com o número de pacientes com HIV Sida na ilha, anunciando que com cerca de cinco mil habitantes a Brava tem 51 casos de HIV.

Esta preocupação foi manifestada em entrevista à Inforpress, onde o médico destacou que quando se trata de dados, normalmente prefere anunciá-los, comparando-os com os de outras ilhas ou município.

Neste caso concreto, o responsável tomou como exemplo a ilha do Fogo, que é a mais próxima da Brava, com mais de 30 mil habitantes, e que neste momento conta com 102 pacientes com HIV.

Neste sentido, realçou que a Brava possui cinco vezes mais casos do que a ilha vizinha, demonstrando assim a “gravidade” da situação e a necessidade de a sociedade tomar outras medidas em relação a certos comportamentos.

“É algo que temos de tomar cuidado porque é preocupante quando se compara com a ilha do Fogo, neste caso”, enfatizou, destacando que o HIV não deve ser discriminado, mas que é algo que deve ser visto com uma certa cautela.

Segundo o médico, “as pessoas devem ter mais responsabilidade com os seus actos e adoptar comportamentos que não lhes incutem a certos riscos, principalmente no que tange às doenças sexualmente transmissíveis”.

Para tentar reverter este quadro e alertar a sociedade sobre a realidade dos dados e dos riscos que se corre, Hélder Pires anunciou que a delegacia de saúde vai tentar trabalhar em parceria com as escolas da ilha, ministrando palestras e passando informações sobre o HIV, mas também trabalhar os jovens e adolescentes no sentido de se prevenirem e terem comportamentos mais seguros.

Igualmente, através de feiras de saúde, pretendem chegar às outras localidades para falar com as pessoas e mostrar-lhes a real situação.

Quanto aos pacientes com HIV, o médico avançou que esta é da sua responsabilidade e dos 51 pacientes a maioria está consciente da doença e dos comportamentos que deve ou não seguir, mas que também estão dispostos a apoiar no combate a esta situação.

Hélder Pires insiste que os pacientes com HIV não devem ser discriminados e que se deve falar da doença sem tabu e manter a sociedade sempre informada nesta matéria.

MC/JMV

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos