Brava: Plataforma de Desenvolvimento Local vai reunir-se para decidir projecto a ser financiado pelo Fundo de Descentralização (c/áudio)

Nova Sintra, 23 Mai (Inforpress) – O presidente da Câmara Municipal da Brava, Francisco Tavares, afirmou hoje que o projecto para beneficiar do Fundo de Descentralização, financiado pela Cooperação Luxemburguesa, vai ser decidido pela Plataforma de Desenvolvimento Local.

Em declarações à Inforpress, o autarca informou que o município foi contemplado com 15.000 contos, que vão ser investidos num projecto que se encontra no apêndice do Plano Estratégico Municipal do Desenvolvimento Sustentável da Brava.

Segundo o mesmo, neste apêndice estão definidos os programas e identificados alguns projectos dentro do Plano de Desenvolvimento, que é resultado do trabalho da Plataforma do Desenvolvimento Local da Brava.

Para decidir o projecto, avançou que a edilidade vai promover um encontro da Plataforma, explicando a importância e os trâmites deste fundo, para que unanimemente ou maioritariamente possam escolher um projecto e área para financiamento.

O autarca realçou que tem mais ou menos dois meses, com o apoio técnico da cooperação Luxemburguesa, para identificar e elaborar o projecto e especificar os detalhes do mesmo para ser submetido ao financiamento.

“Neste momento, enquanto presidente da câmara municipal que lidera a plataforma, não consigo dizer qual a área ou projecto que vai ser aplicado esta verba, porque terá de ser resultado do consenso da plataforma”, explicou o edil.

Entretanto, avançou que a autarquia já tem algum projecto que responde os requisitos exigidos pelo fundo, salientando que deve ter o envolvimento das associações comunitárias, ser em áreas que depois produzem rendimentos, acabando por tirar famílias da pobreza.

Neste quesito, revelou que no projecto impacto da Plataforma da Brava”, já tinham identificado o projecto Brava Fish, que contempla a criação da cooperativa de peixe da ilha, e que depois identificaram a necessidade de investir numa estrutura física em Lomba, para operacionalizar todas as acções da cooperativa.

Assim, acentuou que da parte da câmara municipal, enquanto um dos membros da plataforma, vão apresentar este projecto, a ser analisado em conjunto, para o benefício deste fundo e completar todas as intervenções físicas na cooperativa, os equipamentos e iniciar as actividades que vão desde uma loja, passando por tudo que tem a ver com o pescado, conservação, transformação, manuseamento e comercialização do produto.

Além deste projecto, destacou que com a verba disponível, será possível a realização de mais um ou mais dois projectos.

O Fundo de Descentralização disponibilizará um total de 2.800.000 euros para financiar projectos a associações e câmaras municipais, 2.300.000 euros divididos para todos os 22 municípios do País.

De acordo com o Governo, o programa procura financiar projectos identificados e priorizados conjuntamente pelas câmaras e associações locais, e que se encontram nos Planos Estratégicos Municipais de Desenvolvimento Sustentável (PEMDS) já aprovados.

Os projectos terão uma duração de 12 a 18 meses e um prazo de implementação até 31 de Julho de 2022.

MC/JMV

Inforpress/Fim

Scroll to Top