Brava: Edil alerta jovens bravenses a ficarem atentos a novas oportunidades de formações (c/áudio)

Nova Sintra, 14 Jan (Inforpress) – O edil bravense, Francisco Tavares, pediu hoje aos jovens que fiquem atentos a novas ofertas formativas que estão por vir nos próximos tempos.

O autarca fez este apelo em entrevista à Inforpress, após o acto de abertura da formação em Práticas e Técnicas de Atendimento ao Público para Clientes e Utentes, com 25 formandos.

Referindo-se às outras duas formações que já estão a decorrer e ministradas sob a coordenação do Centro de Emprego e Formação Profissional da região Fogo e Brava (CEFP), Francisco Tavares adiantou que estas acções de formações vão dar resposta à demanda e às necessidades da ilha.

O edil explicou a acção de formação enquadra-se também na política de criação de oportunidades para os jovens da Brava acederem a acções de formações que em outras ilhas são proporcionas pelos centros de formação e de emprego.

Realçou ainda que tanto a acção de formação, que se iniciou hoje, como a de Cozinha e Pastelaria e o curso de nível I de Cozinha, na Brava, estão sendo ministradas em “condições especiais de gratuitidades” para os alunos, sublinhando que há financiador para cobrir as despesas, incluindo as de transporte, dos jovens de outras localidades.

Por isso, o edil aproveitou para apelar aos jovens bravenses para estarem “mais atentos” a outras formações que estão por vir, adiantando que de tempo em tempo são feitos editais que são publicados nas páginas da câmara, na delegação escolar e colocados nos editais para a ilha.

“Aproveitem estas condições excepcionais e capacitem-se, de forma a entrarem no mercado de trabalho”, pediu o edil, realçando que agora a política governamental está a dar muita relevância a estágios profissionais remunerados, após uma certa certificação ou uma capacitação e formação profissional.

Por seu turno, António Cardoso, director do CEFP, explicou que a acção de formação hoje iniciada é a que “a Brava necessita”, ou seja, reforçou, “é um curso que foi pensado e formatado pelas necessidades que a ilha possui”.

Sendo assim, disse que esta acção de formação vai ter vários impactos na ilha, começando pelo facto de ser um curso de iniciação profissional, o que significa que dentro de quatro meses, 25 jovens formados vão entrar no mercado de trabalho, seja pela via de contratação directa ou pela via do Programa de Estágio Profissional e Empresarial.

Outro grande diferencial que apontou é que a ilha “precisa” aumentar o nível e qualidade de atendimento, acreditando que o curso vai trazer “mais qualidade, mais conhecimento, mais preparação”, sobretudo para os profissionais começarem a lidar com um público cada vez mais diferenciado e com culturas diferentes de outros países, inclusive, de línguas estrangeiras.

Destacou que os formandos vão ter preparação em línguas estrangeiras, mormente o Francês e o Inglês, ferramentas que, segundo o responsável, vai apoiar no aprimoramento dos serviços de atendimento, sobretudo para os turistas.

Por outro lado, avançou que o curso está organizado para atender as necessidades dos clientes e utentes bravenses, o que vai melhorar a qualidade dos serviços prestados aos utentes.

Esta formação, como as outras duas já realizadas, conta com o financiamento do Fundo do Turismo.

MC/JMV

Inforpress/fim

Scroll to Top
Share via
Copy link
Powered by Social Snap