• Save

Brava é uma ilha com grande potencial e o Governo está a trabalhar para transformar este potencial em realidade – PM

Nova Sintra, 13 Jul (Inforpress) – O primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, garantiu hoje, em Nova Sintra,  durante a conferência sobre “desenvolvimento local e regional”, que a ilha possui grandes potencialidades e o Governo está a trabalhar para transformá-las em realidade.

Segundo o chefe do Governo, a sua estada na ilha, chefiando uma delegação que integrava ainda os ministros da Agricultura e Ambiente, do Turismo, Transportes e da Economia Marítima e do da Indústria, Comércio e Energia, deu à comitiva a possibilidade de ouvir do público as suas “dúvidas e expectativas”, dando ao executivo a oportunidade de responder às questões, prestar esclarecimentos e partilhar os próximos projectos e planos que o Governo possui em carteira para a ilha.

Não obstante o contacto com as pessoas, Ulisses Correia e Silva realçou que foi também uma oportunidade para reafirmar aquilo que é a convicção da sua equipa governamental, acrescentando que a ilha possui “grande potencial” e o Governo está a trabalhar para transformar este potencial em realidade.

De acordo com o chefe do Governo, são ambição e objectivo do executivo transformar a Brava numa ilha 100 % sustentável, do ponto de vista ambiental e das energias renováveis, estando a investir em projectos que permitam esta transformação.

“Estamos investindo fortemente num projecto que irá arrancar brevemente, que é a construção de uma dessalinizadora, que vai resolver o problema do consumo da água doméstico para as pessoas, com sustentabilidade e, com isso, queremos também uma agricultura sustentável, um turismo que pode ser desenvolvido e é por isso que estamos apostando fortemente na resolução dos problemas dos transportes”, salientou o primeiro-ministro.

Particularmente, no quesito do transporte marítimo inter-ilhas, Ulisses Correia e Silva anunciou que o contrato de concessão entrará em vigor a partir de 15 de Agosto, e com isso o Palácio da Várzea pretende criar condições para que haja “regularidade e qualidade” nos transportes, evitando situações que “constrangem muito a ilha”, onde as pessoas chegam, mas não têm a certeza que no dia seguinte vão conseguir viajar para o Fogo ou vice-versa.

Outras preocupações levantadas pelos munícipes e do conhecimento do Governo têm a ver com a saúde.

O chefe do Governo anunciou que o investimento nos transportes vai servir para resolver os problemas deste sector, adiantando que está prevista a aquisição de um serviço de helicóptero ambulante integrado dentro do projecto da criação de um hospital de referência para o país, na Cidade da Praia, com diversas valências de especializações, tecnologia avançada, que possam contribuir para a redução das evacuações para o exterior mas que exige mobilidade.

Na questão da mobilidade, Ulisses Correia e Silva realçou que pretendem adquirir helicópteros ambulantes, que possam prestar serviços avançados, durante o percurso e permitir que pessoas doentes possam chegar, de qualquer parte de Cabo Verde, ao hospital central.

Segundo o primeiro-ministro anunciou ainda a aquisição de materiais hospitalares para equipar os centros de saúde de condições, num projecto orçado em um milhão de contos.

A ideia, segundo explicou, é prestar um serviço de saúde local de melhor qualidade, indicando que o projecto está na fase de conclusão em termos de aquisição de equipamentos médico-hospitalares, com os quais todos os centros de saúde, os hospitais regionais e centrais serão equipados, visando melhorar a prestação de serviço local em cada ilha e em cada região.

No quesito da sustentabilidade, a mesma fonte salientou que estão requalificando as cidades, permitindo-as terem qualidades urbanísticas e ambientais atractivas, para as pessoas que vivem e para poderem receber as pessoas que lhes visitam, e fazer delas espaços também atractivos para investimentos.

De igual modo, disse, estão “empenhados” no processo de desencravamento das localidades com potencial turística e agrícola, apostando também na valorização do património histórico e cultural, como as casas de Eugénio Tavares.

Isto tudo, de acordo com o chefe do Governo, está enquadrado no processo de transformação da Brava numa ilha sustentável, à base daquilo que são as suas características, “a mais bonita de Cabo Verde, bom clima, tranquila e uma ilha que tem um ponto cultural muito forte”.

Por seu turno, o edil local, Francisco Tavares, disse que esta iniciativa do Governo é o “cumprimento” de uma das directivas, que é estar junto das pessoas, ouvi-las e também trazer as propostas de solução e equacionar os desafios que sempre são colocados.

Uma iniciativa “louvável”, que segundo o mesmo, basta ver a adesão dos munícipes bravenses, em que a sala foi pequena para tanta gente que queria participar, o que para ele demonstra que a população da ilha “está acreditando nas políticas deste Governo e da câmara municipal, uma vez que acções práticas comprometidas em outras alturas foram materializadas”.

Após o encontro e a visita, o desejo é que as obras salientadas pelos diversos ministros e pelo primeiro-ministro iniciam-se o mais breve possível.

Da câmara municipal ficou o compromisso de “fazer a sua parte”, que é a implementação e execução dos projectos, criando assim emprego local e resolvendo os problemas das pessoas e das aldeias.

O titular pela pasta da Indústria, Comércio e Energia realçou ainda que neste momento há um plano nacional e um plano específico para a ilha Brava.

“Já não é somente energia, mas Brava ilha sustentável”, disse, adiantando que isso “implica mais energia renovável, eficiência energética, mobilidade eléctrica e tudo o que contribua para a sustentabilidade da ilha”.

MC/JMV

Inforpress/fim

Scroll to Top
Share via
Copy link
Powered by Social Snap