Boa Vista: Presidente da Câmara considera turismo all inclusive “excelente” para a ilha

Sal-Rei, 29 de Abr (Inforpress) – O presidente da Câmara Municipal da Boa Vista, José Luís Santos, considerou hoje o turismo all inclusive “excelente” e que “a ilha não estaria no patamar de desenvolvimento sem este regime turístico”.

José Luís Santos partilhou esta visão em resposta a questões colocadas pelo Grupo Parlamentar do Movimento para a Democracia (MPD-poder), num encontro que faz parte da agenda de visita de três dias dos eleitos nacionais à ilha da Boa Vista.

“No meu ponto de vista, a ilha não seria o que é hoje sem o sistema all inclusive”, afirmou o edil, que frisou ainda que “é natural e possível especializar-se e diversificar-se em outras ofertas turísticas”.

Para isso, segundo edil, “a câmara aposta na participação dos artesãos nos fóruns e feiras, como forma de colocar a ilha no mapa turístico mundial”.

José Luís garantiu que “neste momento a oferta turística dá resposta para a Boa Vista”, defendendo que a ilha “tem que acarretar com os aspectos negativos que o turismo traz”.

Os representantes do parlamento trouxeram à tona outras questões, entre elas as “mudanças necessárias na saúde, o reforço na educação, volume de receitas que a câmara consegue angariar, saneamento e resíduos sólidos.

Os deputados questionaram ainda sobre o turismo e os seus desafios, a segurança, o acesso à água e o controle das praias.

Pelo meio veio à baile, igualmente, o tema da regionalização. O presidente da câmara considerou que o chumbo da lei pelo parlamento foi “uma decepção para a ilha”, entendendo que a aprovação da lei “poderia trazer um novo alento e nova dinâmica para a Boa Vista”.

“É necessário maior socialização, sendo que a população quase que não teve oportunidade de conhecer bem a lei”, disse o edil, que espera a retoma deste assunto, concretizando que “a ilha poderá ter grandes ganhos com aprovação da lei”.

Quanto ao tratamento do lixo, José Luís considerou o aterro sanitário “uma solução de empurrar o problema com a barriga”. O autarca apontou “o sistema de incineração como a melhor opção”, apesar de assegurar estar “consciente dos grandes custos que esta solução poderá acarretar”.

Sobre a segurança, o autarca avalia-a como “controlada”, observando ainda “melhorias para este sector, após à elevação da esquadra a comando, com duplicação de efectivos e meios para a ilha”.

Os problemas ambientais foram ainda referenciados como temas fulcrais para o desenvolvimento sustentável da ilha das dunas.

O autarca destacou “a necessidade de mais meios para o controle do acesso às praias da ilha, que constituem 52% das áreas balneares do país”.

O edil falou ainda dos problemas que as comunidades africanas enfrentam na ilha, nomeadamente a legalização, considerando que a “ integração é um processo que se faz com o tempo” e que quer que “os emigrantes fiquem na ilha”, por constituírem “ mão-de-obra importante”.

A visita do Grupo parlamentar do Movimento para a Democracia (MPD- poder) teve inicio domingo na localidade de Bafareira e bairro da Boa esperança.

Nesta segunda-feira, após o encontro com o presidente da câmara, os eleitos deslocaram-se às localidades de Povoação Velha, Estância de Baixo, Rabil, Cabeça de Tarrafes, Fundo das Figueiras e João Galego.

Para terça-feira, está em agenda visitas ao liceu e ao Centro de Saúde da Boa Vista.

VD/JMV

Inforpress/fim

Scroll to Top
Share via
Copy link
Powered by Social Snap