Boa Vista: Câmara investe Fundo de Descentralização em projectos que unem a parte económico-social e ambiental

Sal Rei, 23 Mai (Inforpress) – O presidente da Câmara Municipal da Boa Vista disse sexta-feira que a autarquia vai concorrer ao Fundo de Descentralização com três projectos, um deles ligado ao tratamento do plástico que une a parte económica e a ambiental.

Em declarações à Inforpress a propósito do lançamento desse programa financiado pela Cooperação Luxemburguesa, José Luís Santos informou que a autarquia está na fase final de elaboração do plano estratégico dos projectos com que vai concorrer ao financiamento, no âmbito deste programa.

“Já temos um projecto ligado ao saneamento, que é do tratamento e aproveitamento de plástico”, disse o edil que, sem contar detalhes, avançou que a autarquia está ainda a preparar outros dois projectos para apresentar a este fundo.

O edil assegurou que a câmara vai concorrer com três projectos “impactantes” que vão contribuir para o emprego e, ao mesmo tempo, ajudar no processo de desenvolvimento da ilha da Boa Vista.

Conforme José Luís Santos, Boa Vista convive com o problema do plástico tendo em conta que nos estabelecimentos turísticos e hoteleiros há grande uso de consumíveis embalados e engarrafados neste material o que, reiterou, “causa um impacto ambiental na ilha”.

O edil boa-vistense explicou que o projecto, já em fase de conclusão para concorrer a financiamento, une a parte económico-social e a parte ambiental.

“No dia em que nós implementarmos este projecto vai-se ter que “pagar” para encontrar uma garrafa de plástico na rua, pois acredito que todos vão lutar para conservar o seu plástico em casa ou se vir uma embalagem na rua vai apanhá-la imediatamente porque poderá vendê-la e constituir rendimento”, disse o edil, reiterando a junção da parte económica e a ambiental neste projecto.

José Luís Santos destacou a importância deste fundo que poderá chegar em momentos de dificuldade, contribuindo de forma decisiva para minimizar os problemas sociais que a ilha da Boa Vista passa neste momento, relembrando ainda que as ONG e as organizações da sociedade civil podem também apresentar projectos e concorrer a este financiamento.

O edil boa-vistense preferiu não revelar detalhes mas garantiu que a autarquia tem outros dois projectos já na fase de elaboração, sendo um destes amiga do ambiente e outro que também vai juntar estes dois aspectos fundamentais.

O Fundo de Descentralização disponibilizará um total de 2.800.000 euros para financiar projectos às associações e às câmaras municipais, 2.300.000 euros divididos para todos os 22 municípios do País.

De acordo com o Governo, o programa procura financiar projectos identificados e priorizados conjuntamente pelas câmaras e associações locais, e que se encontram nos Planos Estratégicos Municipais de Desenvolvimento Sustentável (PEMDS) já aprovados.

Os projectos terão a duração de 12 a 18 meses e um prazo de implementação até 31 de Julho de 2022.

VD/HF

Inforpress/Fim

 

Scroll to Top