Batuku será elevado Património Nacional no primeiro semestre do ano corrente – IPC (c/vídeo)

Cidade da Praia, 04 Jan (Inforpress) – O presidente do Instituto do Património Cultural (IPC) garantiu em declarações à Inforpress que o batuku será elevado a Património Nacional nos próximos seis meses para posteriormente trabalhar o seu processo de candidatura a Património da Humanidade. 

 “O ministro da Cultura, Abraão Vicente, e a própria comunidade do batuku lançou um grande desafio ao IPC de que é numa primeira fase trabalharmos a sua classificação enquanto património nacional, não é algo inalcançável do ponto de vista técnico, muito pelo contrário porque todo o processo da constituição do dossier da candidatura da Tabanca tem atrelado o próprio batuku”, vincou Jair Fernandes. 

 Segundo a mesma fonte, a manifestação cultural tabanca está sempre associada ao batuku, pelo que o inventário realizado junto dos grupos da tabanca permitiu ao corpo técnico do IPC identificar, igualmente, todos os grupos do batuku na ilha de Santiago e do Maio. 

 “Sei que há uma grande expectativa e forte pressão relativamente à sua internacionalização na perpectiva técnica e normativa, isto é, fala-se muito da sua classificação ou candidatura a Património Mundial da Unesco e aqui é preciso criar prioridades, respeitar as próprias convenções e normativas da Unesco e trabalhar faseadamente de forma consolidada”, sublinhou. 

No entanto, revelou que de acordo com a planificação do IPC “nos próximos seis meses” ter-se-á, primeiramente,a classificação do batuku enquanto Património Nacional. 

 No dia 29 de Dezembro de 2022 aconteceu na rua pedonal de Assomada o “maior terreiro de batuku do mundo”, que visa iniciar o processo de internacionalização do batuku. 

Evento que, segundo o ministro da Cultura, Abraão Vicente, passa a acontecer anualmente naquela região para que o batuco seja elevado a património nacional e da humanidade. 

TC/AA 

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos