Associação de Turismo de Santiago “satisfeita” com previsão de 121 escalas de navios de cruzeiro em 2023

Cidade da Praia, 16 Jan (Inforpress) – O presidente da Associação de Turismo de Santiago (ATS) mostrou-se hoje “satisfeito” com a previsão de 121 escalas de navios de cruzeiro em 2023, o que mostra “de facto” que Cabo Verde é um “destino turístico seguro”.

Eugénio Inocêncio fez esta consideração à Inforpress e enfatizou que tal previsão é um indicador “fundamental” para o País, porque é um sinal de que Cabo Verde já é um destino turístico para este tipo de turismo de cruzeiro.

Todavia, este responsável afirmou que neste momento, sobretudo a ilha de Santiago, já tem uma oferta turística que permite os turistas consumir e recolher aquilo que se transforma em recordação da viagem de uma estadia.

Por outro lado, realçou que infelizmente a parte positiva não tem sido idêntica ao potencial, principalmente por uma “questão de segurança”, sublinhando que muitos operadores têm “receio” pelas notícias que circulam relativamente à criminalidade na Cidade da Praia, mormente na ilha de Santiago.

“Poderia facilitar e tirar melhor proveito desta escala, mas a questão de segurança é uma questão a nível social que ultrapassa as empresas para que os turistas circulem com mais tranquilidade”, precisou a mesma fonte, o que, continuou prejudica a circulação dos turistas pela ilha, como ir a um restaurante e aos sítios que vendem artesanatos, e outras ofertas que se pode ter para este tipo de turismo.

Nesta linha, o presidente da ATS apontou uma outra questão que impossibilita também os operadores turísticos de tirarem “maior proveito” dessas escala, que é a reorganização da oferta turística para encontrar soluções para os problemas de financiamento que lhes permite reactivar as ofertas.

Questionado ainda se as agências, direcção de turismo e restaurantes estão organizadas para receber as escalas desses navios, o responsável afirmou que estão organizadas, mas que a “grande questão” está ao nível da oferta para vender os seus produtos e serviços.

Para isso, continuou, é preciso melhorar as condições de financiamento das empresas para poderem produzir mais e vender mais.

Além disso, à questão se Cabo Verde está preparado para receber grande fluxo de turistas, Eugénio Inocêncio assegurou que o País está a preparar-se e que o aumento do fluxo de turistas está ligado à capacidade de oferta, e “não há um momento de stress entre uma coisa e outra”.

“Os turistas vão a um sítio porque aquele lugar tem capacidade de receber os turistas, porque tem hotéis com quartos suficientes para os turistas que vão e também os restaurantes suficientes para a demanda de procura de comidas e outros serviços”, acrescentou.

No entanto, destacou que o crescimento do turismo em Cabo Verde vai continuar com tranquilidade.

“Nós temos que prestar muita atenção na construção da oferta e a questão do financiamento é importante, a segurança e a mobilidade dos transportes marítimos, aéreos terrestres, ou seja, um conjunto de transportes é fundamental para garantir a circulação. E tudo isto gira em torno da decisão do empreendedor em fazer as coisas e dar as condições de financiamento que permitem construir”, sublinhou presidente da Associação de Turismo de Santiago.

DG/AA

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos