Assembleia Municipal de São Miguel aprova plano de actividades e orçamento para 2020

Calheta, 08 Nov (Inforpress) – A Assembleia Municipal aprovou hoje o plano de actividades e o orçamento da Câmara Municipal de São Miguel para 2020, com votos favoráveis da bancada do MpD, que suporta a câmara, e contra do PAICV, oposição.

Os dois instrumentos de gestão foram aprovados com 12 votos a favor da bancada do Movimento para a Democracia (MpD) e cinco contra do Partido Africano para a Independência de Cabo Verde (PAICV) e estima uma arrecadação de receitas de 493 mil contos e despesa prevista no montante de 516 mil contos, sendo que 65 por cento (%) é direccionado para investimentos.

“Para 2020 temos um orçamento ambicioso e de continuação de aquilo que é o trabalho que temos feito durante os últimos três anos. O documento prevê a consolidação dos grandes projectos e investimentos que iremos fazer no município”, afirmou o presidente da Câmara Municipal de São Miguel, Herménio Fernandes.

O autarca, que falava em declarações à imprensa, apontou como aposta a valorização do território, do meio ambiente, reforço do capital humano, promoção e inclusão social, dinamização da economia local, promoção da modernização administrativa.

No seu entender, este orçamento “é adequado”, tendo em conta que vai ao encontro das ambições e expectativas das populações, e que ainda vem na linha de aquilo que são as transformações desse município do interior de Santiago.

De entre os “projectos estruturantes” previstos destacou calcetamentos de estradas de Ribeireta e Aguinha, continuação das obras de requalificação ambiental e urbana da cidade de Calheta, e em Achada do Monte, Monte Terra, Ponta Calhetona, Manguinho, Cutelo Miranda, Veneza, Palmarejo, Kizomba, e Ponta Verde, e Pilão Cão.

Informou ainda que em 2020 vão fazer investimentos nas pessoas, com destaque para habitação social (reabilitação de mais de 200 casas), mobilização de água, desencravamento, dinamização da actividades económicas e projectos agrícolas destinados as mulheres.

Serão feitos ainda investimentos na juventude, na cultura e no desporto, sendo que neste último constam verbas para arrelvamento do estádio municipal de Achada do Monte, do campo de Manguinho, e ainda apoios as escolas de iniciação de futebol e agremiações desportivas.

Por seu lado, o líder da bancada do PAICV, Alcides Furtado, disse, que a sua bancada votou contra por entender que os dois instrumentos de gestão não trazem novidades, nem alternativas ao desemprego reinante no município.

Este orçamento, acrescentou, não foi pensado para resolver os problemas do município e dos munícipes, entendendo que o mesmo foi pensado nas eleições autárquicas de 2020, razão que o leva a afirmar que é “um orçamento eleitoralista”.

Outrossim, o voto contra do PAICV é justificado com o facto da bancada não ter obtido esclarecimento “suficiente” sobre o documento e ainda por estranharem a introdução de rubricas para localidades que desde 2017 “não tinham merecido atenção” da câmara municipal liderada pelo MpD.

O líder do MpD, Francisco Sanches, disse que a sua bancada votou a favor por este ser um orçamento exequível e por ainda trazer mais requalificações urbanas no centro da cidade da Calheta e em todas as zonas norte do município.

Destacou ainda estradas, e implementação de projectos destinados as mulheres, razão que o leva a afirmar que este orçamento tem “rosto humano” por abranger todos os sectores, com destaque para requalificação de casas.

Nesta décima sessão ordinária da AM os eleitos municipais discutiram e aprovaram o orçamento rectificativo de 2019, proposta para a suspensão parcial do Plano Director Municipal de São Miguel, de entre outros pontos.

FM/CP

Inforpress/Fim

Scroll to Top