Artista plástica cabo-verdiana Evy Amado faz sua primeira exposição de quadros no Brasil

Cidade da Praia, 05 Jan (Inforpress) – A artista plástica cabo-verdiana Evy Amado, que é também activista e residente no Brasil desde 2013, realiza a partir deste sábado, 07, a sua primeira exposição individual na cidade de São Paulo.

A exposição, que tem como tema “Nagô, traçar o caminho de volta”, terá lugar na Casa de Cultura, Casa de Angola, localizada no bairro Bresser-Moóca, em São Paulo, e conta com o apoio do Consulado Geral de Cabo Verde em São Paulo.

Evy Amado é uma jovem cabo-verdiana que viajou para o Brasil em 2013 para estudar arquitectura e urbanismo e depois de concluir a sua licenciatura ficou a residir naquele país.

A jovem conta que desde criança desenhava e que já na adolescência começou a pintar, mas que nunca teve a ideia de partilhar a sua arte.

Entretanto, no Brasil, após concluir o seu curso de licenciatura e estando desempregada decidiu ocupar o seu tempo pintando, até que surgiu a ideia de uma exposição.

Sobre o tema “Nagô, traçar o caminho de volta”, m Evy Amado explica que “Nagô” é um tipo de trança que em Cabo Verde é denominado de “rego” e que muita fazia quando era criança.

“Antes de vir para o Brasil, eu alisava o cabelo e quando cheguei aqui decidi parar de fazer desfrise e durante o processo de transição para ter o cabelo natural usei muitas as tranças e neste processo passei a lembrar bastante da minha infância, porque tendo cabelo crespo sempre todas as semanas tínhamos de fazer as tranças”, contou.

Com esta sua primeira exposição adianta que a intenção é a de realçar o belo e a grande presença da trança no Brasil e em nos diversos países africanos”, disse.

No total são 15 quadros que vão estar disponíveis ao público na Casa de Cultura, Casa de Angola, localizada no bairro Bresser-Moóca, em São Paulo, de 7 de janeiro a 17 de Fevereiro.

MJB/JMV

Inforpress/fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos