• Save

ARME acolhe primeiro encontro técnico entre Cabo Verde e São Tomé sobre sector da energia e sistema de regulação

Cidade da Praia, 09 Jul (Inforpress) – Os técnicos do sector de energia das entidades reguladoras cabo-verdianas e de São Tomé e Príncipe estão reunidos, de hoje a 11 de Julho, no primeiro encontro técnico sobre o sector energético e sistema de regulação dos dois países.

Em declarações à imprensa, o presidente do conselho de administração da Agência Reguladora Multissectorial da Economia (ARME), Isaías Barreto, disse que se trata de um primeiro evento desta natureza a ser realizado no âmbito da Associação de Reguladores de Energia dos Países de Língua Portuguesa (RELOP).

“Cabo Verde e São Tomé são dois países pequenos insulares, são membros da RELOP e os dois países têm uma entidade reguladora multissectorial. Obviamente temos muitas similitudes e desafios similares e é por esta razão que estamos reunidos aqui neste primeiro encontro”, afirmou, mostrando-se optimista que o referido evento irá permitir às duas agências dar passos substanciais na promoção de uma regulação de excelência e de proximidade.

No sector da energia em Cabo Verde, explicou, há necessidade de promover uma maior eficiência energética, ajuntando que o país enfrenta grandes perdas técnicas e comerciais e que precisa melhorar este aspecto que, por sua vez, tem tido um impacto muito grande nos consumidores.

A ARME, de acordo com este responsável, quer de igual modo, promover a legítima defesa dos interesses dos consumidores, com vista a garantir que os mesmos paguem menos por um produto com maior qualidade, apontando ainda a necessidade de se apostar também nas energias renováveis.

“Temos as nossas especificidades, a produção de energia assenta-se essencialmente em fontes fosseis, temos perdas técnicas, a barreira dos 30 a 40% e isto tem impacto, e enquanto entidade reguladora o que queremos é produzir maior eficiência para que os operadores produzam a um custo mais baixo e para que os consumidores possam pagar a um preço mais reduzido”, asseverou Isaías Barreto quando questionado sobre o porquê de a energia em Cabo Verde ser caro.

Durante esses dias, conforme adiantou, muitos assuntos vão ser abordados nomeadamente assuntos ligados à fiscalização, qualidade de serviço, eficiência energética, que permitirá a partilha de experiências e reflexão conjunta sobre o sector energético e o sistema de regulação.

Por seu turno, o engenheiro de electricidade da Autoridade Geral de Regulação de São Tomé e Príncipe (AGER), Posik Espirito Santo, destacou a importância do evento e o nível de cooperação entre Cabo Verde e São Tomé e Príncipe.

Apontou, por outro lado, a necessidade dos dois países estabelecerem futuramente acordos de parcerias no sector da energia e sistema de regulação com vista a promover a consolidação das relações de cooperação entre os mesmos.

CM/ZS

Inforpress/Fim